Calvin Klein critica modelo

Baphão no mundo da moda, meninas! 

Para quem não sabe, em março deste ano foi anunciado que a badalada Kendall Jenner havia sido escolhida para ser a nova garota propaganda da Calvin Klein. Depois de já ter ganhado os holofotes desfilando pela Victoria's Secret, a modelo foi eleita para posar para as lentes de ninguém mais e ninguém menos que Alasdair McLellan, gatíssimo fotógrafo britânico que já trabalhou até para a Vogue. 

Nas fotos, a demanda era simples: pouca maquiagem e as peças da coleção #mycalvins Denim Series estrelando tudo. Foi o que aconteceu, mas você acha que o chefão todo poderoso da marca ficou satisfeito? Hm... Não. 

A campanha, produzida pela agência in-house da Calvin Klein Inc., havia sido inspirada no sucessso das mídias sociais - não é a toa o uso da hashtag no nome da coleção - e estimulava os fãs a postarem selfies vestindo as peças. 

Pensando nisso, Jenner se encaixava no perfil e seria a pessoa ideal para se tornar a imagem global da campanha e seduzir os consumidores, já que ela possui algumas das fotos mais curtidas do Instagram e conta com mais de 54.2 milhões de followers.

Na época, inclusive, Melisa Goldie, Diretora de Marketing da marca, chegou a declarar que "a poderosa base de fãs [de Kendall] e seu alcance global iriam ampliar ainda mais a conversa em torno da marca e destacar muito esta edição limitada". Resumindo, puro marketing. 

No entanto, esta semana, em um evento na Faculdade de Arte e Moda de Savannah, o próprio Calvin se pronunciou a respeito e não foi uma opinião que a modelo gostaria de ouvir. 

Apesar de Kendall ter dito, durante a campanha, que modelar para a Calvin Klein era um sonho que se tornou realidade e que "fazer parte deste legado é uma honra", a reciproca não foi verdadeira. 

Tentando amenizar, Calvin até começou dizendo que tinha certeza que a modelo era uma jovem adorável (cof, cof, corta esse eufemismo, por favor!), mas não adiantou nada assoprar se ia morder em seguida. 

"[Escolher a Kendall] não é o tipo de coisa que eu faria. Quando eu digo que gosto de Justin Bieber na Calvin Klein Underwear, é porque eu gosto dele, não porque ele tem milhões de seguidores. Mas agora as modelos são pagas pelo número de seguidores que têm. Elas são escolhidas não por representarem a essência do designer, são escolhidas pelo número de seguidores que têm na internet”.

Aproveitando para continuar alfinetando Jenner, ele continuou sobrando até para a família:

"Eu não acho que essa seja uma fórmula de sucesso para o produto que você está tentando vender. Se você fizer fotos realmente requintadas das pessoas certas, com as roupas certas, no local certo, e divulgá-las, tudo bem. Mas só colocar qualquer roupa na Kim Kardashian não vai adiantar“, criticou o estilista, aproveitando para dar aquele puxão de orelha em alguns colegas como Pierre Balmain, que se tornou o queridinho de Kimberly e do marido, Kanye West. Aliás, verdade seja dita, nunca se falou tanto em Balmain desde que o casal passou a, praticamente, apenas usar as roupas dele. Fica a dica.

E aí? O que vocês acham? Vale tudo na hora do marketing ou Klein tem razão? Opinem a baixo. 

Compartilhar

Sobre o autor

Juliana Costa
Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Quem Somos

O Satisfashion Brazil conquistou em pouco tempo credibilidade e a confiança de seus leitores e parceiros, tornando-se referência em Moda e Cultura.

 

Últimos posts

Newsletter

Participe de nossas campanhas e informativos sobre tendência de moda e brindes