Livros |#ffcc00

Livros |#ffcc00 (13)

Sinopse:

Refugiado em seu Bunker, Adolf Hitler escreve sem parar páginas e páginas de um texto de conteúdo secreto. Quando se dá a invasão soviética em Berlim, Hitler entrega um relógio a oficial da Gestapo com uma mensagem.

Resenha:

O autor inicia a trama na cidade de Paris no ano de 1940, levando o leitor numa viagem diretamente ao passado. A importância desse começo é que através dele poderemos  entender e conectar todos os fatos seguintes.

Nesse mesmo início somos apresentados ao objeto que irá ocasionar toda a trama policial criada pelo autor: o relógio Cartier de Adolf Hitler. A partir daí realizamos outra viagem no tempo, somos levados para uma época mais atual, para a Buenos Aires de 2012.

A nossa protagonista é Verônica, uma paulistana que durante um passeio por Buenos Aires compra o relógio Cartier em um antiquário. Ela não faz ideia de quem era o antigo dono do relógio e do grande mistério que gira entorno do mesmo, desencadeando uma incrível aventura.

O relógio foi uma criação do autor, mas a trama conta com personagens históricos e fatos do nazismo. Baseado também em lendas e relatos, o autor acrescenta novos dados e levanta situações que ainda geram questionamentos sobre essa época marcante.

O vínculo entre os personagens vão se formando gradativamente e a narrativa segue com cenas específicas. No meio do livro, a trama ganha novos formatos e alavanca com a movimentação do grupo neonazista, do FBI, da Polícia Federal brasileira e o encontro entre o agente brasileiro Édson Fernandez com Verônica.

A trama é bem conduzida do começo ao fim. A linguagem utilizada pelo autor é bastante simples, ele consegue prender a nossa atenção até o próximo parágrafo. Os capítulos não são longos, o que torna a leitura ágil e de fácil entendimento.

Características:

Autor: Bruno Atti

Editora: Quatrilho Editoral

Edição: 2015

 

 

Com ares de “50 Tons de Cinza” brasileiro Redenção pelo amor, é o último livro da trilogia Redenção, e nessa trilogia conhecemos os três amigos: Arthur, Matt e Antônio.

A heroína Supergirl, prima do Superman, ganhará uma nova HQ, agora inspirada no contexto da série que é exibida pela CBS.

Imagine que você sai com uma roda de amigos para se divertir e por alguma razão acaba se perdendo do grupo e precisa andar sozinho.  Agora suponha que faz parte de um grupo de astronautas da Nasa que vai até Marte para uma missão e toda a equipe retorna à Terra sem você. Este é o argumento do primeiro livro de Andy Weir, que virou filme em 2015 e foi sucesso de bilheteria.

O Satisfashion Brazil entrevistou com EXCLUSIVIDADE Roberto Tranjan, autor do best seller Metanoia, no qual oferece uma nova forma de pensar sobre as empresas. Confira agora como foi este bate-papo:

Cerimônia inaugural do evento contou com a presença do prefeito Eduardo Paes, que também abriu o Café Literário. O emocionante discurso de Mauricio de Sousa marcou a abertura da 17ª Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, no início da tarde desta quinta-feira, 3, no Riocentro. O criador da Turma da Mônica, que completa 80 anos em outubro, é o homenageado desta edição do evento. Mauricio, que lança 42 livros durante a Bienal por diversas editoras, recebeu o Prêmio José Olympio – concedido pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) – das mãos de Mônica, Cebolinha e dos bisnetos do influente editor que dá nome à honraria. A Bienal acontece no Riocentro até 13 de setembro e espera receber mais de 600 mil pessoas.  “É uma emoção inédita ser contemplado com um prêmio tão importante em companhia dos responsáveis por protagonizar as histórias que buscam divertir e entreter a garotada, além de ser um estímulo para a leitura. É um orgulho saber que a Turma da Mônica é a maior alfabetizadora do país”, disse, visivelmente comovido.  A Bienal também homenageia a Argentina, que foi representada na cerimônia por Luis María Kreckler, embaixador do país no Brasil, e Magdalena Faillace, diretora geral de assuntos culturais do ministério das relações exteriores e culto. Kreckler ressaltou a oportunidade de a Bienal proporcionar uma aproximação cultural ainda maior entre as duas nações, enquanto Faillace lembrou do papel fundamental do Brasil no fortalecimento da soberania argentina sobre as Malvinas.  Marcos da Veiga Pereira, presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros, abriu oficialmente a edição da Bienal e fez um apelo pela manutenção dos programas governamentais de incentivo à leitura e alfabetização. Ele anunciou ainda o lançamento de uma petição pública relacionada à causa. Com o nome de Brasil, Nação Leitora, a iniciativa conjunta de várias entidades do livro tem como objetivo sensibilizar o Governo Federal no sentido de assumir o compromisso de manter a frequência anual de distribuição de livros de literatura em escolas públicas.  Eduardo Paes abre a programação cultural Em seguida, o prefeito Eduardo Paes participou da primeira sessão do Café Literário, o espaço de debates intimistas que faz parte da programação do evento desde 1999, onde falou sobre obras no Rio, transporte público e Jogos Olímpicos. Paes, entrevistado pela jornalista Helena Celestino, afirmou ainda que, além de sua importância para a cidade, a Bienal tem o objetivo de inspirar o hábito da leitura entre os brasileiros.  O público também pôde conhecer o Cubovoxes, com atrações voltadas a crianças e famílias. A área é uma grande estrutura que remete aos aros dos Jogos Olímpicos para abordar a diversidade e a multiculturalidade. As atividades constantes contam com teatro, cabines de trava-línguas e de leitura, área de exposições e um traumatrópio, no qual, por meio de animação, o usuário pode vestir fantasias as mais diversas.  Já o Cubovoxes, atividade voltada especialmente aos jovens leitores, que já foram o público mais presente neste primeiro dia de Bienal, recebeu sua primeira convidada, a sensação teen Carina Rissi, enquanto o Café Literário encerrou a programação cultural de quinta com a mesa “Rio 450: Histórias da cidade”, com Alberto Mussa, Edmilson Martins Rodrigues e Nireu Cavalcanti.  O primeiro dia de Bienal recebeu ainda o Agents & Business Center, parceria inédita com a Feira do Livro de Frankfurt que criou um espaço aberto a agentes literários e profissionais do livro de todo o mundo. A iniciativa, que aproxima ainda mais o grande evento literário do Brasil ao maior centro de negócios do mercado editorial no mundo, acontece até sábado. Na tarde de quinta aconteceu também o I Encontro Internacional de Profissionais do Livro (InterLivro 2015), programação gratuita com palestras e painéis com profissionais do mercado. * Texto e fotos enviados pela assessoria de imprensa da Bienal e publicado na íntegra pelo site Satisfashion Brazil.

SINOPSE

Com experiência adquirida em mais de 45 anos de trabalho como consultor de empresas, Dernizo Pagnoncelli sabe como ninguém a importância do planejamento, não apenas o planejamento estratégico empresarial, mas, antes desse, o próprio plano pessoal.

“Nesses anos de experiência, testemunhei muitos dilemas de consciência, quando funcionários bem-sucedidos estavam completamente infelizes por não concordarem com as políticas de suas empresas. Daí nasceu minha preocupação de, como consultor de estratégia, desenvolver também uma metodologia clara e eficiente de planejamento de vida. Com isso, adaptei o método aplicado para planejamento estratégico empresarial para um planejamento estratégico de vida – ou planejamento estratégico pessoal”, diz o autor na apresentação.

Ao longo de anos, as anotações e observações foram apresentadas informalmente a empresários, executivos e gerentes. Os retornos positivos obtidos o motivaram a apresentá-lo de forma mais consistente e didática neste livro. A forma clara e didática, torna o livro acessível a qualquer pessoa que deseja elaborar um planejamento pessoal, pode dar um rumo mais consistente à sua trajetória.

A intenção é que o leitor possa escrever um plano estratégico de vida à medida em que vai avançando na leitura, refletindo e tomando decisões. Em vários momentos, o livro oferece espaços em branco para anotar suas próprias metas, gostos e traçar objetivos. E, à medida em que for escrevendo, se comprometa, registrando, acompanhando e corrigindo rotas. O livro conduz o leitor a fazer uma autoanálise. Uma maneira prática e rápida para conduzir ao sucesso pessoal!

Resenha

Como Planejar Sua Vida é voltado para os leitores que queiram se redescobrir - sem qualquer tipo de receio. Em menos de 100 páginas, Dernizo Pagnoncelli faz com que o leitor descubra detalhes sobre a sua vida e carreira que até então não percebia ou não queria.

Diferente de outros livros sobre planejamento, o autor não te explica a fórmula do sucesso. Na verdade, o objetivo é que você faça uma autoanálise e através dela, possa fazer um julgamento sobre o que tem que ser melhorado ou totalmente mudado.

Essa análise surge a partir de testes compilados pelo autor, e eu eu fiz todos! Percebi que sou uma pessoa que tem capacidade de liderança - e olha que ele não sabe que conduzo uma equipe de 13 pessoas; mas que me descuido quando a questão é saúde, o que é verdade, porque adoro um fast food, mas que comendo apenas besteira estou estragando a minha qualidade de vida também. Fazendo os testes e lendo as dicas do livro, percebi o rumo que a minha vida deve tomar.

E eu o recomendo justamente pelo fato de estarmos vivendo uma crise, não apenas na economia do país, mas existencial. Muitas pessoas sendo demitidas, se sentindo desacreditadas, sem saber que rumo tomar. E é por isso que livros como o de Dernizo farão com que você se torne mais introspectivo e reflita sobre suas ações. 

O único aspecto negativo é que esta edição está com folhas soltas, mas conversei com a assessoria de imprensa do autor, e eles prometeram que a próxima edição corrigirá esta falha.

Como eu comentei acima, o livro é muito curto! Eu o li em apenas 4 horas e depois disso emprestei aos meus familiares para o lerem também. Porque informação de qualidade, merece ser compartilhada! =]


 

 

 

 

 

Na coluna desta semana, Andréa Loureiro falará sobre o livro A Rainha Vermelha de Victoria Aveyard e que em breve se tornará filme. Confira:

Sinopse

Toda noite, quando London Lane recosta a cabeça no travesseiro e dorme, cada mínimo detalhe do dia que viveu desaparece de sua memória. Pela manhã, restam-lhe apenas lembranças do futuro: pessoas e acontecimentos que ainda estão por vir. Para conseguir manter uma rotina minimamente normal, London escreve bilhetes para si própria e recorre à sempre fiel melhor amiga. Já acostumada a tudo isso, ela tenta encarar a perda de memória mais como uma fatalidade que como uma limitação. Mas, quando imagens perturbadoras começam a surgir em suas lembranças e London precisa, de algum modo, escapar delas, fica claro que para entender o presente e o futuro ela terá que decifrar o que ficou esquecido no passado.

 

Resenha

London Lane pode parecer uma adolescente como qualquer outra, mas ela possui um segredo um pouco estranho e fora do comum. Todos os dias às 4:33 da manhã o cérebro de London reinicia e ao acordar ela não consegue se lembrar de nada do que já aconteceu.

Para poder recordar momentos de sua própria vida a jovem escreve bilhetes com anotações sobre o que acontece todos os dias. Lembrete de uma conversa, do dever de casa ou algo que ela queira fazer ou falar, tudo precisa ser registrado para que não caia no esquecimento.

A vida de London funciona apenas através dessas pequenas anotações e seus lembretes, para que assim ela consiga viver seu próprio presente. Além disso, algo ainda mais curioso acontece com a jovem, ela tem lembranças de situações que ainda vão acontecer, e quando acontecem, essas lembranças se apagam.

No meio da turbulenta vida de London surge o misterioso Luke Henry, um menino que irá se empenhar para conquistá-la e fazer com que London aceite que ela jamais será uma pessoal normal, por mais que ela se esforce em ser.  A presença desse rapaz causará muitas mudanças na vida da nossa protagonista.

Deslembrança é um livro onde a leitura flui de forma agradável, com uma trama bem interessante e personagens bens construídos, com destaque para o lindo relacionamento construído por London e Luke.

O fato da narrativa ser em primeira pessoa me agradou muito, porque acompanhamos toda a história sob o ponto de vista de London, o que torna tudo mais real e nos mantém conectados à leitura.

É muito interessante ver ao decorrer das página a evolução da personagem, o modo como ela enfrenta seus problemas e encontra as soluções para os mesmos, a forma como ela sente e entende tudo o que se passa ao seu redor, e a sensibilidade dela em lidar com isso.

No final senti que a história acelerou um pouco e particularmente esperava mais páginas para ler, mas isso não tira meu apego com esse livro tão meigo. Acredito que seja um dos livros mais fofos que já li até hoje e vale muito a pena ler e reler.

Quem Somos

O Satisfashion Brazil conquistou em pouco tempo credibilidade e a confiança de seus leitores e parceiros, tornando-se referência em Moda e Cultura.

 

Últimos posts

Newsletter

Participe de nossas campanhas e informativos sobre tendência de moda e brindes