Livros |#ffcc00

Livros |#ffcc00 (15)

Semana passada trouxemos a resenha do livro A Bela e A Fera - edição oficial do filme. Hoje iremos continuar falando desse universo tão aclamado da Disney. Trata-se de A Fera em Mim, mais um livro publicado pela nossa parceira Universo dos Livros
 
Sinopse:
 
Um príncipe amaldiçoado se isola em seu castelo. Poucos o viram, mas aqueles que conseguiram tal proeza afirmam que seus pelos são exagerados e suas garras são afiadas – como as de uma fera! No entanto, o que levou esse príncipe, que já foi encantador e amado por seu povo, a se tornar um monstro tão retraído e amargo? Será que ele conseguirá encontrar o amor verdadeiro e pôr um fim à maldição que lhe foi lançada? Em “A Fera Em Mim”, conheça a história por trás de um dos mais cativantes e populares contos Disney de todos os tempos: A Bela e a Fera!

Resenha:

A Fera em Mim, de autoria de Serena Valentino, traz um ponto de vista diferente sobre a já conhecida história de A Bela e a Fera. Neste livro, a autora aborda os acontecimentos que levaram um lindo príncipe a se tornar um temido monstro. Serena também narra o desenrolar dos acontecimentos durante a maldição.

Como podemos ler em nossa resenha de "A Bela e a Fera", a autora Elizabeth Rudnick mesclou a história do desenho com o filme e acrescentou uma pitada de novidade. Já em A Fera em Mim, o leitor irá encontrar uma nova roupagem da história, com novos personagens e um enredo distinto do conhecido. Serena mostra uma visão mais completa da personalidade cruel e egoísta do príncipe. Se na história da Disney nós torcemos para a maldição ser quebrada, neste livro não podemos esperar para que o príncipe tenha logo o seu castigo.

Olha ele aí! Há quem prefira ele como Fera... e vocês?

A Bela da qual conhecemos fica em segundo plano. Óbviamente, ela ainda é a parte crucial para a finalização da história, porém, a autora criou novos personagens que são fundamentais para a construção e o andamento da narrativa. Tais personagens ganham tanto destaque que acabam por dividir o protagonismo do livro com a Fera.

Serena conduz a história da maldição passo a passo durante alguns capítulos, e é nesse ponto que conhecemos a fundo a personalidade do príncipe. Cada vez que ele toma uma atitude egoísta e mesquinha, entendemos mais do motivo da punição ser tão severa.

O livro é curto e pode ser concluído em pouquíssimo tempo dependendo da velocidade da leitura do leitor. Serena possui uma escrita simples, mas direta e objetiva, fazendo com que este conto possa ser lido por leitores de todas as idades. 

Os mais fanáticos podem torcer um pouco o nariz para essa nova perspectiva da história, mas todos os ingredientes colocados aqui, fazem de A Fera em Mim uma leitura interessante. Talvez não tão encantadora quanto a qual conhecemos, mas ainda assim, carrega a mensagem de que o amor é maior do que a futilidade e as aparências.

Dan Stevens é o ator que interpreta a Fera no live-action

Ressalvas:

- O Gaston que conhecemos continua sendo aquele embuste arrogante, mas neste livro a origem do personagem tem mais a ver com a do príncipe do que podemos imaginar.

- Serena também escreveu outros livros focados nos clássicos da Disney. Ela deu uma repaginada e destacou as histórias da vilã Úrsula de A Pequena Sereia, da madrasta da Branca de Neve, etc. Em A Fera em Mim, ela cita alguns desses personagens.

- Antes de Bela aparecer, o príncipe tentou escapar da maldição envolvendo-se com outras mulheres. Uma delas é o estopim para que a história tome fôlego.

Sobre a autora:

Serena Valentino há anos vem criando contos fantásticos em seus quadrinhos aclamados pela crítica. Ela é conhecida por seu estilo único de contar histórias, que conduz seus leitores a mundos requintadamente construídos, repletos de aventura, beleza e protagonistas extraordinários. Ela vive em São Francisco.

 
 
 

 O live action do clássico da Disney, A Bela e a Fera emocionou a todos pela fidelidade com a animação de 1991. Protagonizado por Emma Watson e Dan Stevens, o filme fez bonito nas telas do cinema e arrecadou 1 bilhão em bilheteria mundial, tornando-se uma das produções cinematográficas mais vistas do ano. 

 
 
Apostando no sucesso da produção, a editora Universo dos Livros lançou o livro A Bela e a Fera, uma edição oficial do filme, escrito por Elizabeth Rudnick.  

Quer saber se a história da autora é tão maravilhosa quanto ao desenho e ao filme? Confira nossa resenha abaixo:

Sinopse:

Bela deseja para sua vida muito mais do que a pequena cidade provinciana de Villeneuve pode oferecer. Lá, ela se destaca da multidão com um ponto de vista único, uma independência vigorosa e um notável amor pelos livros. Ela anseia por viagens e aventuras, e por uma vida tão empolgante quanto as histórias que lê, mas, quando seu amado pai é aprisionado por uma fera em um castelo encantado, o destino de Bela muda para sempre. Ao arriscar sua liberdade e seu futuro, ela assume o lugar do pai, jurando-lhe que escaparia em segredo. No entanto, conforme aprende mais sobre a Fera e seu misterioso castelo, Bela descobre que pode haver mais sobre a história dele – e sobre a sua própria – do que ela jamais poderia ter imaginado.

Resenha:

Antes de mais nada, este livro é um presente. Um presente para quem cresceu assistindo aos clássicos da Disney, para quem é apaixonado pela animação "A Bela e a Fera", e para quem amou o live-action. Elizabeth Rudnick acertou em cheio ao escrever este livro. A autora reuniu uma parte bastante significativa do enredo do filme, incluindo também partes da narrativa e diálogos do desenho, e acrescentou uma pitada de conteúdo original. Todos esses ingredientes transformaram este livro em uma receita deliciosa e completa.

Com isso, os fãs do clássico continuam com personagens cativantes e uma história regada de mensagens positivas. Aqueles que nunca esbarraram no mundo de A Bela e Fera encontrarão uma mocinha destemida, inteligente e bondosa, que destoa das princesas clássicas que são sempre salvas pelo príncipe encantado. No enredo, temos um príncipe também nada convencional, tanto em sua aparência de Fera, quanto em sua personalidade difícil e geniosa. Aqui, as madrastas más e as bruxas dão lugar ao vilão mais belo e arrogante dos contos. Para completar o time, entra em jogo outros personagens interessantes e divertidos que farão o leitor torcer rapidinho pelo "felizes para sempre".

Vale destacar que apesar de toda a fidelidade com as produções da Disney, a autora não reproduz as partes musicais no livro. Elizabeth transformou as canções em cenas, isto é,o leitor irá encontrar, por exemplo, o momento clássico da Bela dançando com a Fera em formato de narrativa. Mas se você é daquelas pessoas nostálgicas, que tal fazer essa parte da leitura ouvindo a música? 

A Bela e a Fera é uma história que reúne suspense, romance e ação, fazendo desse clássico um sucesso absoluto seja em desenho, filme ou livro.

 Sobre a autora:

Elizabeth Rudnick já escreveu mais de trinta livros, incluindo os romances Tweet Heart, Pete’s Dragon: The Lost Years, e o best-seller juvenil baseado no live-action homônimo de Cinderella. Ela vive em Cabo Cod, no Estado de Massachusetts, nos EUA, com seu marido e três amáveis vira-latas: Jack, Gin-ger e Belle.

Sinopse:

Refugiado em seu Bunker, Adolf Hitler escreve sem parar páginas e páginas de um texto de conteúdo secreto. Quando se dá a invasão soviética em Berlim, Hitler entrega um relógio a oficial da Gestapo com uma mensagem.

Resenha:

O autor inicia a trama na cidade de Paris no ano de 1940, levando o leitor numa viagem diretamente ao passado. A importância desse começo é que através dele poderemos  entender e conectar todos os fatos seguintes.

Nesse mesmo início somos apresentados ao objeto que irá ocasionar toda a trama policial criada pelo autor: o relógio Cartier de Adolf Hitler. A partir daí realizamos outra viagem no tempo, somos levados para uma época mais atual, para a Buenos Aires de 2012.

A nossa protagonista é Verônica, uma paulistana que durante um passeio por Buenos Aires compra o relógio Cartier em um antiquário. Ela não faz ideia de quem era o antigo dono do relógio e do grande mistério que gira entorno do mesmo, desencadeando uma incrível aventura.

O relógio foi uma criação do autor, mas a trama conta com personagens históricos e fatos do nazismo. Baseado também em lendas e relatos, o autor acrescenta novos dados e levanta situações que ainda geram questionamentos sobre essa época marcante.

O vínculo entre os personagens vão se formando gradativamente e a narrativa segue com cenas específicas. No meio do livro, a trama ganha novos formatos e alavanca com a movimentação do grupo neonazista, do FBI, da Polícia Federal brasileira e o encontro entre o agente brasileiro Édson Fernandez com Verônica.

A trama é bem conduzida do começo ao fim. A linguagem utilizada pelo autor é bastante simples, ele consegue prender a nossa atenção até o próximo parágrafo. Os capítulos não são longos, o que torna a leitura ágil e de fácil entendimento.

Características:

Autor: Bruno Atti

Editora: Quatrilho Editoral

Edição: 2015

 

 

Com ares de “50 Tons de Cinza” brasileiro Redenção pelo amor, é o último livro da trilogia Redenção, e nessa trilogia conhecemos os três amigos: Arthur, Matt e Antônio.

A heroína Supergirl, prima do Superman, ganhará uma nova HQ, agora inspirada no contexto da série que é exibida pela CBS.

Imagine que você sai com uma roda de amigos para se divertir e por alguma razão acaba se perdendo do grupo e precisa andar sozinho.  Agora suponha que faz parte de um grupo de astronautas da Nasa que vai até Marte para uma missão e toda a equipe retorna à Terra sem você. Este é o argumento do primeiro livro de Andy Weir, que virou filme em 2015 e foi sucesso de bilheteria.

O Satisfashion Brazil entrevistou com EXCLUSIVIDADE Roberto Tranjan, autor do best seller Metanoia, no qual oferece uma nova forma de pensar sobre as empresas. Confira agora como foi este bate-papo:

Cerimônia inaugural do evento contou com a presença do prefeito Eduardo Paes, que também abriu o Café Literário. O emocionante discurso de Mauricio de Sousa marcou a abertura da 17ª Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, no início da tarde desta quinta-feira, 3, no Riocentro. O criador da Turma da Mônica, que completa 80 anos em outubro, é o homenageado desta edição do evento. Mauricio, que lança 42 livros durante a Bienal por diversas editoras, recebeu o Prêmio José Olympio – concedido pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) – das mãos de Mônica, Cebolinha e dos bisnetos do influente editor que dá nome à honraria. A Bienal acontece no Riocentro até 13 de setembro e espera receber mais de 600 mil pessoas.  “É uma emoção inédita ser contemplado com um prêmio tão importante em companhia dos responsáveis por protagonizar as histórias que buscam divertir e entreter a garotada, além de ser um estímulo para a leitura. É um orgulho saber que a Turma da Mônica é a maior alfabetizadora do país”, disse, visivelmente comovido.  A Bienal também homenageia a Argentina, que foi representada na cerimônia por Luis María Kreckler, embaixador do país no Brasil, e Magdalena Faillace, diretora geral de assuntos culturais do ministério das relações exteriores e culto. Kreckler ressaltou a oportunidade de a Bienal proporcionar uma aproximação cultural ainda maior entre as duas nações, enquanto Faillace lembrou do papel fundamental do Brasil no fortalecimento da soberania argentina sobre as Malvinas.  Marcos da Veiga Pereira, presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros, abriu oficialmente a edição da Bienal e fez um apelo pela manutenção dos programas governamentais de incentivo à leitura e alfabetização. Ele anunciou ainda o lançamento de uma petição pública relacionada à causa. Com o nome de Brasil, Nação Leitora, a iniciativa conjunta de várias entidades do livro tem como objetivo sensibilizar o Governo Federal no sentido de assumir o compromisso de manter a frequência anual de distribuição de livros de literatura em escolas públicas.  Eduardo Paes abre a programação cultural Em seguida, o prefeito Eduardo Paes participou da primeira sessão do Café Literário, o espaço de debates intimistas que faz parte da programação do evento desde 1999, onde falou sobre obras no Rio, transporte público e Jogos Olímpicos. Paes, entrevistado pela jornalista Helena Celestino, afirmou ainda que, além de sua importância para a cidade, a Bienal tem o objetivo de inspirar o hábito da leitura entre os brasileiros.  O público também pôde conhecer o Cubovoxes, com atrações voltadas a crianças e famílias. A área é uma grande estrutura que remete aos aros dos Jogos Olímpicos para abordar a diversidade e a multiculturalidade. As atividades constantes contam com teatro, cabines de trava-línguas e de leitura, área de exposições e um traumatrópio, no qual, por meio de animação, o usuário pode vestir fantasias as mais diversas.  Já o Cubovoxes, atividade voltada especialmente aos jovens leitores, que já foram o público mais presente neste primeiro dia de Bienal, recebeu sua primeira convidada, a sensação teen Carina Rissi, enquanto o Café Literário encerrou a programação cultural de quinta com a mesa “Rio 450: Histórias da cidade”, com Alberto Mussa, Edmilson Martins Rodrigues e Nireu Cavalcanti.  O primeiro dia de Bienal recebeu ainda o Agents & Business Center, parceria inédita com a Feira do Livro de Frankfurt que criou um espaço aberto a agentes literários e profissionais do livro de todo o mundo. A iniciativa, que aproxima ainda mais o grande evento literário do Brasil ao maior centro de negócios do mercado editorial no mundo, acontece até sábado. Na tarde de quinta aconteceu também o I Encontro Internacional de Profissionais do Livro (InterLivro 2015), programação gratuita com palestras e painéis com profissionais do mercado. * Texto e fotos enviados pela assessoria de imprensa da Bienal e publicado na íntegra pelo site Satisfashion Brazil.

SINOPSE

Com experiência adquirida em mais de 45 anos de trabalho como consultor de empresas, Dernizo Pagnoncelli sabe como ninguém a importância do planejamento, não apenas o planejamento estratégico empresarial, mas, antes desse, o próprio plano pessoal.

“Nesses anos de experiência, testemunhei muitos dilemas de consciência, quando funcionários bem-sucedidos estavam completamente infelizes por não concordarem com as políticas de suas empresas. Daí nasceu minha preocupação de, como consultor de estratégia, desenvolver também uma metodologia clara e eficiente de planejamento de vida. Com isso, adaptei o método aplicado para planejamento estratégico empresarial para um planejamento estratégico de vida – ou planejamento estratégico pessoal”, diz o autor na apresentação.

Ao longo de anos, as anotações e observações foram apresentadas informalmente a empresários, executivos e gerentes. Os retornos positivos obtidos o motivaram a apresentá-lo de forma mais consistente e didática neste livro. A forma clara e didática, torna o livro acessível a qualquer pessoa que deseja elaborar um planejamento pessoal, pode dar um rumo mais consistente à sua trajetória.

A intenção é que o leitor possa escrever um plano estratégico de vida à medida em que vai avançando na leitura, refletindo e tomando decisões. Em vários momentos, o livro oferece espaços em branco para anotar suas próprias metas, gostos e traçar objetivos. E, à medida em que for escrevendo, se comprometa, registrando, acompanhando e corrigindo rotas. O livro conduz o leitor a fazer uma autoanálise. Uma maneira prática e rápida para conduzir ao sucesso pessoal!

Resenha

Como Planejar Sua Vida é voltado para os leitores que queiram se redescobrir - sem qualquer tipo de receio. Em menos de 100 páginas, Dernizo Pagnoncelli faz com que o leitor descubra detalhes sobre a sua vida e carreira que até então não percebia ou não queria.

Diferente de outros livros sobre planejamento, o autor não te explica a fórmula do sucesso. Na verdade, o objetivo é que você faça uma autoanálise e através dela, possa fazer um julgamento sobre o que tem que ser melhorado ou totalmente mudado.

Essa análise surge a partir de testes compilados pelo autor, e eu eu fiz todos! Percebi que sou uma pessoa que tem capacidade de liderança - e olha que ele não sabe que conduzo uma equipe de 13 pessoas; mas que me descuido quando a questão é saúde, o que é verdade, porque adoro um fast food, mas que comendo apenas besteira estou estragando a minha qualidade de vida também. Fazendo os testes e lendo as dicas do livro, percebi o rumo que a minha vida deve tomar.

E eu o recomendo justamente pelo fato de estarmos vivendo uma crise, não apenas na economia do país, mas existencial. Muitas pessoas sendo demitidas, se sentindo desacreditadas, sem saber que rumo tomar. E é por isso que livros como o de Dernizo farão com que você se torne mais introspectivo e reflita sobre suas ações. 

O único aspecto negativo é que esta edição está com folhas soltas, mas conversei com a assessoria de imprensa do autor, e eles prometeram que a próxima edição corrigirá esta falha.

Como eu comentei acima, o livro é muito curto! Eu o li em apenas 4 horas e depois disso emprestei aos meus familiares para o lerem também. Porque informação de qualidade, merece ser compartilhada! =]


 

 

 

 

 

Página 1 de 2

Quem Somos

O Satisfashion Brazil conquistou em pouco tempo credibilidade e a confiança de seus leitores e parceiros, tornando-se referência em Moda e Cultura.

 

Últimos posts

Newsletter

Participe de nossas campanhas e informativos sobre tendência de moda e brindes